Alguns alunos de Meditação Taoísta falam
dos principais benefícios que obtiveram:
Adriana:
(…) um passo importante na minha caminhada em direção a uma busca interior profunda. (…) Uma grande contribuição no processo de autoconhecimento.
Léia:
Quando não estou bem, me recolho na meditação. Sinto que agora tenho um recurso que não está fora de mim. Ao contrário, as respostas que procuro estão dentro de mim.
Rogério:
Nas aulas sempre há um espaço para tirar dúvidas e comentar as experiências de cada um. É uma oportunidade importante para receber orientação (…)
Carmen:
Não sei se entendo bem o Tao nem sei se estou desfrutando de todo o benefício possível que se obtém da prática de sua filosofia, mas o bem estar que eu sinto ao fazê-lo é indescritível.
Sérgio:
O aprendizado da meditação taoísta com o professor Antonio Moreira é por em prática o que disse Lao-Tzu há mais de dois mil anos: “Uma jornada de mil milhas começa com um simples passo."

 
   

A
prender um pouco sobre o taoísmo e iniciar a prática da meditação tem sido, para mim, mais um passo importante na minha caminhada em direção a uma busca interior profunda.
 
Senti uma forte identificação com o simbolismo contido na filosofia, e tem sido muito gostoso identificar o universo e os seus elementos dentro de mim mesma; a cada dia uma nova descoberta... Uma grande contribuição no processo de autoconhecimento.
 
Paralelo a isso, um mestre dedicado, que transmite serenidade e muito carinho pelo que faz, torna mais prazeroso o aprendizado.

Adriana Campello, escritora, aos 36 anos, em dezembro de 2007



P
ratico Tai Chi faz algum tempo, e desde o início me senti muito bem, gostei muito. Pouco depois, tive vontade de me aprofundar, faltava alguma coisa. O que faltava, só descobri este ano, eram os treinamentos internos, o Tao Yin.
 
O Antonio é muito didático, consegue deixar claro o sistema de práticas transmitidas pelo mestre Liu Pai Lin, e entendemos como o Tai Chi e o Tao Yin, o movimento e a serenidade, se complementam.
 
Gosto muito das explicações com o auxílio do I Ching. O mestre utilizava os seus hexagramas para explicar os treinamentos, de uma forma muito mais viva que a encontrada nos livros, e em algumas aulas o Antonio nos transmite essas explicações. É uma simbologia muito bonita, e deixa tudo mais fácil de entender.
 
Nas aulas sempre há um espaço para tirar dúvidas e comentar as experiências de cada um. É uma oportunidade importante para receber orientação sobre qualquer dificuldade que estivermos encontrando. As turmas são pequenas, há mais proximidade entre professor e aluno, não fica uma coisa impessoal. O Antonio é uma pessoa generosa, tem prazer em transmitir o que aprendeu com o mestre.
 
Outro diferencial importante: Antonio ensina os treinamentos e também explica os seus benefícios. Assim, vamos aprendendo a selecionar os mais importantes para cuidar de nossa saúde, conforme as características e problemas de cada um.
 
Valeu muito a pena fazer o curso!

Rogério A. G. Ferreira, advogado, aos 33 anos, em dezembro de 2007



"L
uz dourada, atravesse o meu corpo!”, assim começa a Oração, o primeiro passo para o aprendizado da meditação taoísta.
 
Sou praticante há pouco mais de dois anos. Esta prática me trouxe muitos benefícios, especialmente porque chegando aos 40, eu já não estava conseguindo levar a correria do dia-a-dia no mesmo ritmo da época em que tinha 20. Para reduzir os efeitos do estresse decorrente do trabalho, descobri que não havia nada melhor que parar para meditar por uns vinte ou trinta minutos, para me revitalizar e aumentar a disposição para as atividades do dia-a-dia. Minha saúde também tinha melhorado, estava mais resistente a doenças como o resfriado. Nessa época, considerava que meditar era como recarregar as baterias.
 
Então passei a ter aulas com o professor Antonio Moreira, que me trouxeram um novo ânimo à prática da meditação taoísta. Tive a oportunidade de aprender várias técnicas ensinadas pelo mestre Liu Pai Lin, como a circulação pelos seis centros de energia e pelos oito meridianos extraordinários, muito importantes para despertar os pontos energéticos do corpo, aumentar a sensibilidade e alcançar a serenidade. Cada aula traz uma nova descoberta.
 
O aprendizado da meditação taoísta com o professor Antonio Moreira é por em prática o que disse Lao-Tzu há mais de dois mil anos: “Uma jornada de mil milhas começa com um simples passo."

Sérgio Sakata, bancário, aos 44 anos, em dezembro de 2007





Faço tai chi há 1 ano e senti uma grande diferença em meu bem-estar. Tinha muitas dores nas costas por causa de uma escoliose, agora estou bem melhor. A prática me proporcionou uma consciência corporal, e aprendi a relaxar as costas e os ombros.
 
Pratico também a meditação taoísta. Para mim o tai chi e a meditação se complementam. Na meditação, fazemos alguns exercícios para abrir os canais de energia, o que ajuda bastante a desligar os pensamentos.
 
Quando não estou bem, me recolho na meditação. Sinto que agora tenho um recurso que não está fora de mim. Ao contrário, as respostas que procuro estão dentro de mim.

Léia Guimarães, editora assistente, aos 40 anos, em dezembro de 2007





Meu encontro com o Tai Chi Chuan e com a meditação taoísta foi, por assim dizer, intuitivo. Não conhecia a filosofia taoísta — como ainda não a conheço, estou apenas começando a entendê-la — mas pensei que esse talvez fosse um caminho para a minha busca de um estado de espírito contrário àquele que possivelmente provocara a enfermidade que me acometeu em meados de setembro de 2006.
 
A maioria das pessoas que se vêem de repente diante da possibilidade de deixar de existir relatam mudanças de atitude e de pensamento. Comigo não foi diferente, exceto que a mudança não foi repentina, ela está em pleno progresso.
 
Atéia, cética e cautelosa, nunca busquei respostas para questões existenciais nem tampouco senti o vazio de que se fala quando a procura pelo sentido da vida encontra caminhos pouco promissores. Por outro lado, um sentimento desconhecido, uma vontade, quase uma casualidade me aproximou do taoísmo.
 
O aprendizado da prática do Tai Chi Pai Lin e da meditação taoísta a partir do meu encontro com o professor Antonio Moreira — em quem confiei inexplicável e instantaneamente — se tornou a mais preciosa ocupação do meu tempo não livre (conquistei o direito a essas horas fazendo manobras na minha rotina).
 
Não sei se entendo bem o Tao nem sei se estou desfrutando de todo o benefício possível que se obtém da prática de sua filosofia, mas o bem estar que eu sinto ao fazê-lo é indescritível.

Embora sinta que os ideais de simplicidade e serenidade contidos no conceito do vazio são o que eu devo eleger como metas, confesso que, às vezes, penso que não sou capaz de alcançá-los por não ter sensibilidade suficiente ou ser racional demais.
 
Também não sei se posso dizer que me tornei mais espiritual, mas, com certeza, as práticas da meditação e do Tai Chi estão me tornando uma pessoa mais calma, mais tolerante, mais serena e, em conseqüência, mais feliz.

Carmen Takayama, publicitária, aos 49 anos, em novembro 2007